Aprender o alfabeto é uma curiosidade de muita gente que começa a estudar um novo idioma. Ainda mais no caso do mandarim, com aquelas “letras chinesas” que parecem desenhos. Só que nesta língua, a coisa é um pouco diferente. Isso porque o alfabeto chinês, da forma como estamos acostumados a entender um alfabeto, não existe. No artigo de hoje, entenda o que existe de mais próximo, no mandarim, à noção de alfabeto. E confira como aprender um “alfabeto chinês” adaptado às suas necessidades.

alfabeto chinês

Atualizado em 07.06.24

Alfabeto chinês: a transcrição das letras chinesas para caracteres latinos

Para sorte daqueles que se dedicam a aprender mandarim, a transcrição dos caracteres do alfabeto latino em caracteres chineses (as “letras chinesas”) é totalmente possível. Fazendo essa transcrição, na prática, o que obtemos é uma “tradução” do alfabeto chinês.

Essa transcrição será útil quando você precisar para soletrar alguma coisa. Como seu nome ou seu endereço, por exemplo, usando as “letras do idioma chinês”.

Letra no nosso alfabeto Caractere em mandarimTranscrição
Aā
Bbèi
C
D
E饿 è
F艾弗 ài fú
G
H阿什 ā shí
I
J
K
L艾勒 ài lè
M艾马 ài mǎ
N艾娜 ài nà
O ó
Ppèi
Q
R艾和 ài hé
S艾丝 ài sī
T
U
V wéi
W独布勒维 dú bù lè wéi
X伊克斯 yī kè sī
Y伊格黑克 yī gé hēi kè
Z 贼德 zéi dé

Por que o alfabeto chinês é diferente do nosso?

A primeira coisa a levar em consideração, quando a gente se pergunta sobre o alfabeto chinês, é que o mandarim é escrito com caracteres (os sinogramas). Um sinograma, portanto, é o que faz o papel de uma “letra chinesa”.

No alfabeto latino, cada letra corresponde a uma unidade de som. Já no alfabeto chinês, cada sinograma representa um conceito concreto ou abstrato da realidade.

Ou seja: no caso das letras do alfabeto, elas geralmente só ganham significado se colocadas juntas em uma determinada ordem. Já no caso da escrita chinesa, cada caractere tem um significado próprio, mas a justaposição de sinogramas pode criar um novo significado.

Existem dezenas de milhares destes caracteres. Em mandarim, são chamados hànzì! Mas não se deixe intimidar por esse número, porque a maior parte deles já não é mais usada nos dias de hoje. Na verdade, estima-se que você só precise conhecer cerca de 3 mil caracteres para ler um jornal chinês.

Muitos caracteres são escritos a partir de uma mesma base, o radical, que varia de acordo com seu significado. E isso nos ajuda a reconhecê-los.

Como escrever em chinês sem um alfabeto chinês?

Os radicais são justamente a resposta a esta pergunta. Isso porque esses radicais representam uma ideia em comum.

Quer ver um exemplo concreto? Vamos analisar os seguintes caracteres chineses: 河, 湖, 汁, 酒. Esses quatro caracteres têm um elemento em comum. Você consegue perceber qual é?

→ 氵 Trata-se deste aqui! Se você notou, acertou! Este elemento em comum é o radical relacionado à água. Se você olhar bem, talvez ele até mesmo lembre gotas caindo… Não é à toa, portanto, que esse radical faz parte destes quatro caracteres:

  • 河 significa “rio”;
  • 湖 significa “lago”;
  • 汁 significa “suco”;
  • 酒 significa “álcool”.

Sim. Todos eles representam líquidos. Portanto “coisas” constituídas de água ou que lembram água. Se você encontrar outros caracteres com esse radical, certamente eles também representam palavras relacionadas com a água ou os líquidos. Portanto, já fica mais fácil, certo?

O pinyin: uma “versão” do alfabeto chinês adaptada à pronúncia

Como vimos acima, a transcrição direta do alfabeto chinês só vai ajudar você a soletrar. Mas e para ler e pronunciar o que se lê? Para aprender a falar mandarim, felizmente, nós contamos com a ajuda do pinyin… aquelas letrinhas que acompanham os caracteres chineses.

A palavra pinyin — que dá nome a essas letrinhas fazem uma “transcrição” das letras chinesas —  significa “sons da pronúncia”. E sua função é justamente essa: mostrar como os caracteres chineses são pronunciados. Ao todo, para representar os caracteres chineses, são usadas 25 letras do alfabeto latino (deixando o V de fora), uma letra extra, o “ü”, além de quatro marcadores de tonalidade.

letra chinesa
Fonte: Wikimedia

 

  • As letras chinesas: as consoantes e as vogais

O mandarim é composto por consoantes e vogais, da mesma forma que o português. A diferença é que, no mandarim, cada sílaba é estruturada da mesma forma. Todas elas começam com um som de consoante e terminam com um som de vogal.

Essa inclusive é a razão pela qual, no mandarim, as letras chinesas que são consoantes são chamadas “iniciais” e as vogais são conhecidas como “finais“. No total, há mais de 20 iniciais e cerca de 30 finais. “Mais de 30 finais? E como isso é possível? O alfabeto chinês tem mais vogais do que o alfabeto latino?”

Na verdade, não. Essa nomenclatura faz referência ao som de uma vogal. Por isso, há diversas associações possíveis, como em: ia, uai, üan, etc… Confira um exemplo de tabela que reúne as iniciais, as finais e suas combinações possíveis. Você pode até escutar a pronúncia dessas combinações com apenas um clique.

  • Os tons

Mas isso não é tudo! A pronúncia do chinês mandarim é muito particular. Isso, porque ela é ritmada pelos famosos “tons” do mandarim. Eles são quatro, no total. E o tom pode alterar completamente o significado de uma palavra. Confira o exemplo abaixo, só pra ter uma ideia:

  •  (mā) significa mamãe
  •  ()  significa canabis
  • (mǎ) significa cavalo
  • 骂 (mà) é um insulto em mandarim

Portanto, a pronúncia é um aspecto do mandarim que merece atenção. Ou você pode acabar cometendo erros bem significativos ao falar!

Para ir mais longe: