Falamos, com frequência, dos idiomas mais fáceis de aprender… ou dos mais úteis para nós, brasileiros. No entanto, há um bom número de línguas estrangeiras que a maior parte de nós qualifica como difíceis, seja pela fonologia, pela gramática ou pelo tipo de escrita. Muita gente se pergunta qual a língua mais difícil do mundo. Por isso, fizemos um ranking das 10 línguas mais difíceis de aprender a partir de diversos critérios (os mais objetivos possíveis!). E outro, a partir de critérios mais subjetivos, que você mesmo vai poder julgar no vídeo da Abbe!

qual a língua mais difícil do mundo

Atualizado em 04.05.22

Qual a língua mais difícil do mundo?

Sem suspense! Vamos direto ao ponto com nosso Top 10 das línguas mais difíceis de aprender…

  1. Mandarim
  2. Árabe
  3. Russo 
  4. Japonês
  5. Húngaro 
  6. Alemão
  7. Grego
  8. Polonês
  9. Islandês 
  10. Finlandês

Como chegamos a esse resultado?

Definir qual a língua mais difícil do mundo, ou fazer um ranking dos idiomas mais difíceis de aprender, não é tarefa fácil. Da mesma forma como é complicado afirmar pura e simplesmente que um idioma é difícil de aprender. Porque, com frequência, para afirmar isso, as pessoas tomam como referência seu idioma materno. Naturalmente, a proximidade de um idioma com nossa língua-mãe é o primeiro fator que facilita a aprendizagem de uma língua estrangeira. Por exemplo, para um coreano ou um japonês, aprender mandarim provavelmente parecerá bem menos complicado do que para um brasileiro.

Outro ponto de referência sempre considerado é a experiência pessoal. Se alguém teve facilidade para aprender o italiano, normalmente essa pessoa tende a afirmar que o italiano é um idioma fácil. Embora, na verdade, muitas pessoas possam classificá-lo de outra forma… Na realidade, esse tipo de classificação é sempre bastante subjetivo e depende em grande parte da pessoa que a elabora (de sua língua materna e de sua própria experiência com idiomas). Portanto, longe de mim dizer que fizemos nosso ranking a partir de um método científico, totalmente objetivo… No entanto, tentamos basear nossa lista dos idiomas mais difíceis de aprender em alguns critérios válidos. Quais?

O vocabulário e sua distância de seu idioma materno

É sem dúvida um dos primeiros critérios que podemos usar para afirmar que um idioma é fácil ou não para aprender. Isso se não for, no fundo, o critério mais importante! É a razão pela qual muitos de nós, nativos no português, achamos o espanhol fácil… O espanhol e o português (assim como o francês e o italiano) têm a mesma origem: são línguas latinas, que derivaram do latim. Na prática, o que acontece é que muitas palavras têm raízes comuns entre essas línguas.

Como resultado, temos muito mais facilidade para aprender o vocabulário espanhol, por exemplo, do que o árabe ou o japonês. Alguns de nossos 10 idiomas mais difíceis, como o húngaro e o finlandês são considerados únicos. O que quer dizer que elas não compartilham uma origem comum com nenhum outro idioma. 

O espanhol, o italiano, o francês e o português, como já dissemos, são considerados línguas primas graças à sua raiz. Da mesma forma como o inglês e o alemão têm raízes comuns. Ambas fazem parte da família de línguas germânicas. Elas são originárias de uma protolíngua (uma língua antiga, da qual derivaram outras).

Então, se você já domina o inglês, provavelmente terá menos dificuldade para aprender o alemão (ainda que ela faça parte de nossa lista). Da mesma forma como terá menos dificuldade para aprender um idioma próximo do seu. Ou seja: muitas palavras em espanhol, por exemplo, são fáceis de decifrar — ainda que não as conheçamos — em função de sua raiz latina.

A fonologia, os sons e a entonação

Mais uma vez, tomamos como referência nosso idioma nativo. Podemos encontrar em diferentes idiomas alguns sons comuns. Por retomar o exemplo do português e do espanhol, podemos citar o fato de as vogais, no espanhol, serem sempre orais, como são no português — embora, no espanhol, o “e” e o “o” tenham sempre o som fechado, o que nem sempre acontece no português. O mesmo acontece com o francês, com o qual temos não apenas sons, mas muitas palavras em comum, como você viu nesse artigo sobre como aprender francês rapidamente.

Porém alguns idiomas, como é o caso do russo ou ainda do árabe, por exemplo, usam sons que não existem no português. Daí toda a dificuldade do idioma árabe, muitas vezes ligada a essa ideia: como há muitos sons que não existem no português, será preciso bastante treino para conseguir imitá-los. Citemos, também, os tons do mandarim. (Outro forte concorrente quando a gente se pergunta qual seria a língua mais difícil do mundo….)

Nesse idioma, há quatro tons diferentes (representados na escrita por marcações específicas), e a simples variação do tom pode dar um significado diferente a uma palavra! Essa aprendizagem dos tons é particularmente complicada, e é a razão pela qual o mandarim ocupa seu lugar em nossa lista dos idiomas mais difíceis.

O islandês, por sua vez, usa um alfabeto único, baseado sobre o latino, mas usado exclusivamente pelos islandeses. Ele inclui diversos sons que você não irá escutar em nenhuma outra língua.

Os sons e a entonação de um idioma são, é claro, coisas que se aprende. Ainda que eventualmente sua aprendizagem possa ser difícil, não é impossível! Ela exigirá simplesmente mais prática do que com outros idiomas cujos sons são mais parecidos com o de sua língua materna e, consequentemente, mais familiares.

A construção das frases e das palavras

Como você já sabe, acreditamos que a gramática não é essencial à aprendizagem de um idioma. Pelo menos, não nos primeiros meses. No entanto é preciso lembrar que há idiomas como o húngaro, por exemplo, que possuem diversos casos gramaticais diferentes (exatamente 35 para o húngaro, contra zero para o inglês!). Mas aqui, estamos nos referindo a algo mais simples: a posição das palavras na frase.

Em português, espanhol e mesmo em inglês, uma frase afirmativa é geralmente construída assim: sujeito + verbo + complemento (do objeto direto/indireto). Infelizmente, nem todos os idiomas usam essa mesma construção. No árabe, por exemplo, uma mesma palavra pode ter significados diferentes em função de sua posição na frase. Citemos também o russo, cuja ordem das palavras na frase não é fixa, mas aleatória. São as declinações que definem a ordem, pois os sufixos definem a função da palavra na frase. Por fim, o japonês também usa uma forma completamente diferente para construir frases, o que torna a aprendizagem desse idioma particularmente complicada para a maior parte de nós.

Além da formação das frases, podemos falar também da formação das palavras. No finlandês, por exemplo, diversas palavras são formadas a partir de um mesmo radical. Graças a esse radical podemos, então, criar um adjetivo, um substantivo ou um verbo, bastando juntar ou modificar um sufixo ou um prefixo. Os húngaros também usam os sufixos… mas não para variar as palavras, e sim para indicar o tempo verbal e, portanto, a conjugação. Nesses idiomas, a dificuldade está relacionada ao fato de não termos simplesmente aprender a formar frases. Precisamos também aprender a construir as palavras.  Uma dificuldade extra, digamos.

Falta algo? A escrita…

Por enquanto, fizemos questão de não mencionar a escrita. Isso porque, para aprender um idioma rapidamente, você não precisa necessariamente dominar a escrita. Essa capacidade, é claro, soma um grau extra de dificuldade ao aprendizado. Vejamos, por exemplo, o mandarim e o japonês.  Para começar, como brasileiros, não temos nenhum indício que nos ajude a decifrar sua escrita. Além disso, é importante sabermos que o idioma escrito e o idioma falado são diferentes. Você não irá ler da mesma forma que fala.

Isso tudo para dizer que não usaremos a escrita como critério na nossa definição da língua mais difícil do mundo. A escrita também não está sendo considerada nossa lista com os 10 idiomas mais difíceis de aprender, embora ela naturalmente possa ser considerada um critério de dificuldade.

BÔNUS: Um Top 5 (divertido!) dos idiomas difíceis de aprender 

A Abbe gravou um vídeo para o nosso canal no YouTube com a sua lista particular dos 5 idiomas mais difíceis de aprender. Como você vai ver, o vídeo inclui trechos com nativos e não nativos falando cada um desses idiomas. Dê uma olhada e conte pra gente se você concorda com este top 5!

O vídeo está em inglês mas, se desejar, você pode habilitar as legendas em português. Para fazer isso, basta clicar no ícone da engrenagem, no canto inferior direito do vídeo.

Depois, não deixe de se inscrever em nosso canal para não perder nenhum dos nossos vídeos com dicas para aprender idiomas. Tem publicação nova toda semana! 😉

Alguns macetes para você dar conta do recado…

Como já repetimos algumas vezes, essas 10 línguas são, sim, difíceis de aprender. Mas difícil não quer dizer impossível, certo? É sempre importante lembrar que, usando o método correto e mantendo a motivação necessária, não há razão para que você não as domine. Então, para que você avance (até mesmo) nestes idiomas, reunimos aqui alguns recursos interessantes. Acreditamos que eles possam ajudá-lo(a) na aprendizagem de qualquer da “língua mais difícil do mundo” ou de outros idiomas tidos como os idiomas mais difíceis.

Para o mandarim

Há pouco tempo, fizemos uma entrevista com Vladimir Skultety, um poliglota eslovaco que aprendeu nada menos que 20 idiomas. Entre eles, podemos citar o mandarim, idioma do qual ele hoje é tradutor. Nessa entrevista, ele fala de seus truques para aprender idiomas, em especial, os mais difíceis, como o mandarim.

Não esqueça de se inscrever em nosso canal no YouTube para ter acesso a diversas outras dicas sobre a aprendizagem de idiomas.

Você pode também visitar nossa página de recursos para aprender mandarim. Lá, indicamos podcasts, vídeos, jogos, cursos online e outros sites muito úteis para ajudá-lo(a) a aprender o idioma.

Para o árabe

Salim Kecir, professor desse idioma há 15 anos, escreveu para nós um artigo sobre como aprender árabe rapidamente. Para saber mais sobre essa língua e tirar proveito das dicas desse especialista, dê uma olhadinha. Nesse artigo, ele fala sobre a língua árabe… ou, melhor, sobre as línguas árabes, pois ela conta com diversas versões.  Além disso, oferece alguns bons macetes para facilitar a aprendizagem.

Para o japonês

Um dos idiomas mais difíceis de aprender em função, principalmente, de sua escrita. Para começar, você pode também consultar nossa página de recursos para aprender japonês.

Para o alemão

O alemão é o que poderíamos classificar como o “idioma fetiche” do Cédric: ele fala bastante sobre essa língua e transforma sua experiência em conselhos de aprendizagem como os que divide com você no vídeo a seguir. Nele, Cédric oferece, justamente,  5 dicas para aprender alemão sem muita dificuldade.

Para ir mais longe, você também pode visitar:

Para o russo

Ah…  o russo! São muitos os que querem se lançar no aprendizado desse idioma… Razão pela qual nós decidimos desenvolver um aplicativo MosaLingua dedicado ao russo. Ele ainda não foi lançado mas, em poucos meses, estará pronto para ajudar você a aprender esse idioma lindo, mas que guarda lá seus segredos. Então, fique de olho aqui no blog!

Enquanto espera, você pode consultar nossa página de recursos para aprender russo. Você encontrará lá a indicação de diversos sites úteis para ajudá-lo(a) a dar seus primeiros passos nesse idioma que ocupa a 3a posição em nossa lista dos idiomas mais difíceis de aprender!

E, para todos os outros idiomas, não deixe de falar sobre suas experiências aqui abaixo, nos comentários.  Compartilhe suas dicas e suas impressões em relação a esses idiomas tidos como difíceis de aprender.

[/table-of-content]

Para ir mais longe, confira também: