Melhorar a pronúncia em inglês é o objetivo de muita gente que aprende esse idioma. Mas, se essa meta parece um pouco subjetiva, o artigo de hoje é pra você. Nele, reunimos três dicas que realmente vão trazer ganhos para a sua pronúncia, independente do seu nível atual no inglês. Confira a seguir!

pronuncia em ingles

Pronúncia em inglês: por que melhorar a sua

Antes de passarmos às três dicas que vão ajudar você a melhorar sua pronúncia, a pergunta que não quer calar… Por que devemos investir em melhorar nossa pronúncia? A resposta para essa pergunta é menos obvia do que parece.

A principal razão pela qual melhorar a pronúncia é importante é o impacto que isso tem na percepção geral do seu inglês. Explico: quando você pronuncia mal, as pessoas que ouvem o seu inglês têm a impressão de que você tem pouco domínio do idioma. Já quando você tem uma boa pronúncia, causa a impressão oposta. E isso, mesmo que tenha um vocabulário limitado, e pouco conhecimento da gramática inglesa.

Portanto, a principal razão pela qual vale a pena melhorar sua pronúncia em inglês é que essa é a forma mais fácil de melhorar seu nível no inglês. Ou seja: de fazer com que o seu inglês cause uma melhor impressão quando você fala. Motivo mais do que suficiente para investir seu tempo nisso, certo?

Então, confira três dicas simples e superpráticas que vão ajudar você a melhorar sua pronúncia. E que valem tanto para quem ainda é iniciante quanto para quem já tem um certo domínio do inglês.

Como melhorar sua pronúncia em inglês: 3 dicas práticas

1. Comece pelos sons que não existem no seu idioma

Já de início, a dica mais preciosa de todas! Por quê? Simplesmente porque você já sai na frente de 80% das pessoas nativas no português. Ao dominar os sons que não existem no seu idioma, você se diferencia de todas as pessoas que falam sua língua nativa, e que ainda não conhecem esses sons.

O som do L

Este primeiro som trai os brasileiros já quando alguém nos pergunta “Where are you from?”. Porque a nossa tendência é pronunciar sempre o L final com som de U e, no inglês, ele não tem esse som. Então, a gente não responde “I’m from BraziU, mas BraziL”. O mesmo vale para a palavras como “tall, tell, doll, bull”.

O som do T

No inglês, não existe o som de “tchiii” que a gente usa quando pronuncia palavras como Curitiba (“CuritCHiba”), tio (“tCHio”), time (“tCHime”)…  Então, a gente diz “tomorrow”, e não “TCHUmorrow”, “want”, e não “wanTCHI”; “print”, e não “prinTCHI”.

O H e o R no início das palavras

Outro ponto que pega muita gente boa aqui no Brasil é a diferença do H e do R no início das palavras. Isso acontece porque no inglês, diferente do português, esse H inicial não é mudo. Na verdade, ele tem um som que lembra o do nosso duplo R. Então, confira o vídeo abaixo para acertar na pronúncia de palavras como “hotel, hostess, hot, hall”.

Já o R do inglês americano, muitas vezes a gente tende a pronunciar como esse H, quando na verdade ele tem que ser pronunciado com a ponta da língua encostando no céu da boca. Então, dizemos “river”, e não “hiver”; “red”, e não “had”.

O B e o P no fim das palavras

Tem duas consoantes finais que também nos induzem a erro por aqui. O B e o P, as nossas consoantes bilabiais. Isso porque a gente tem tendência a pronunciar esse B e esse P quando eles estão final de palavras como “bomb” e “pump”, por exemplo.  E esse som final, no inglês, não é propriamente pronunciado.

“Bomb”, aliás, é uma palavra ótima pra você lembrar disso. Porque você nunca mais vai esquecer que é um som que a gente arma na boca, mas que não explode no final.

O som da terminação ED

Sexto: o som do ED, bem comum especialmente nos verbos conjugados no passado, no inglês, também costuma gerar confusão. Isso porque, por exemplo, em palavras como “waked” e “talked”, o som que desaparece é justamente o do E. E a gente pronuncia essas palavras quase como se elas tivessem um som de T.

O E final

Sétimo: o som do E final também desaparece em palavras em que esse E vem depois de uma consoante. Então a gente diz “nice” não “nicE”, “romance”, e não “romancE”, “invite”, e não “invaitE”.

As consoantes duplas

Oitavo: em português, quando a gente tem duas consoantes juntas, normalmente pronuncia as duas. Como em subsolo, advogado, ou pneu, por exemplo. Já no inglês, a primeira é sempre muda, e a gente só pronuncia a segunda. Ou seja: “doubt”, e não “douBT”. “Half”, e não “haLF”.

O som do TH… ah, o som do TH…

Embora não seja uma dificuldade exclusiva de quem fala português, o som do TH é outro ponto essencial para melhorar a pronúncia em inglês. Até porque, na verdade, há dois tipos de “pronúncia” do TH em inglês: a sonora e a muda. O TH sonoro é aquela usada em palavras como “this”, “that” e “them”. Já o TH “mudo” (também chamado de “surdo”) está presente em palavras como “think”, “thanks” e “thin”.

Para ficar craque na diferença, confira dois vídeos do Sean, um especialista em pronúncia do inglês norte-americano. Neste, você vai aprender como pronunciar corretamente o TH sonoro. Já  neste outro, vai ver como se pronuncia palavras que usam o TH mudo.

BÔNUS: 8 erros típicos dos brasileiros, em vídeo

Quer conferir a pronúncia correta dos sons mais difíceis para os brasileiros? Dê uma olhada no vídeo que eu gravei para o canal MosaLingua no Youtube. Basta clicar no Play ou, se quiser assistir diretamente lá no nosso canal, clicar aqui!

2. Use a técnica do shadowing

Apesar do nome pomposo, o shadowing é uma técnica supersimples e muito eficaz. Ela consiste simplesmente em “imitar” a fala de um nativo no inglês.

Embora seja simples, essa técnica permite que você não apenas melhore sua pronúncia das palavras em inglês. Também faz com que, aos poucos, você absorva até e entonação típica desse idioma; ou seja: a forma como a voz dos nativos sobe e desce enquanto eles falam. O que, em um verdadeiro círculo virtuoso, faz com que você… melhore sua pronúncia! 😉

Antes de começar a melhorar sua pronúncia do inglês com este exercício, o importante é escolher quem imitar.

Se você está no nível intermediário ou mesmo avançado, procure alguém que tenha uma pronúncia clara, e que fale com o sotaque que você gostaria de ter. Pode ser um personagem de uma série de TV, o(a) apresentador(a) de um podcast em inglês,  um YouTuber, ou até a Abbe, nossa professora de inglês aqui no MosaLingua. Você pode, inclusive, começar por este vídeo que ela gravou para o nosso canal ensinando justamente a usar a técnica do shadowing!

se você é iniciante, provavelmente vai gostar de começar pelas frases disponíveis app MosaLingua Inglês. Isso porque, com o app, você não tem que se preocupar em desenvolver suas próprias ideias e criar frases. Alguém já fez isso pra você! Dessa forma, você pode matar dois coelhos com uma cajadada… e aprender novas palavras e expressões enquanto trabalha na sua pronúncia.

3. Grave, escute & ajuste

Ao praticar com o shadowing, é importante que você possa avaliar sua performance. E o jeito mais fácil de fazer isso é gravar sua voz. Você pode usar o gravador embutido no seu celular. Basta gravar a frase original, pronunciada pelo nativo, e em seguida a sua voz pronunciando a mesma frase.

Depois, compare as duas. Veja se você está conseguindo imitar bem a frase original ou em que sons ou palavras a sua pronúncia precisa de ajustes.

Se você for começar o seu shadowing usando o app MosaLingua, terá mais uma vantagem com relação a este ponto. Todos os flashcards no app MosaLingua já trazem um arquivo de áudio gravado por um nativo, e você pode gravar sua própria voz repetindo as frases direto no aplicativo. Depois, da mesma forma, é só escutar e ajustar a sua pronúncia para ficar o mais parecida possível com a pronúncia do professor(a).

Para ir mais longe, confira também: